22 de janeiro

    Nascimento


    1561 — Nasce Francis Bacon

    Francis Bacon nasceu em Londres, aos 22 de janeiro de 1561. Sua mãe, Ann Cooke Bacon, falava cinco idiomas e era considerada a mulher mais erudita da época. Educado no Trinity College, de Cambridge, Francis Bacon teve formação política e, posteriormente, alcançou cargos elevados.

    Foi eleito para a Casa dos Comuns (o parlamento britânico), onde desempenhou os cargos de procurador-geral, fiscal-geral, guarda do selo e chanceler. Em 1618, foi nomeado barão de Verulan e, em 1621, visconde de St. Albans. Foi acusado de corrupção pelo parlamento e condenado a pagar uma grande multa; além disso, ficou proibido de exercer qualquer cargo público.

    Como escritor, Bacon muito contribuiu para a metodologia científica que temos atualmente. Escreveu a obra Ensaios, onde reuniu aqueles que são considerados os primeiros modelos de prosa inglesa moderna. Entre outras obras importantes estão O Avanço do Conhecimento e Novum Organum.

    Francis Bacon faleceu em 9 de abril de 1626, em Londres.


    1797 — Nasce Maria Leopoldina

    Maria Leopoldina Josefa Carolina, arquiduquesa da Áustria, nasceu em 1797, em Viena. Filha do imperador austríaco Francisco I e de D. Maria Isabel de Bourbon Nápoles, foi a primeira imperatriz do Brasil.

    Em 1817, Maria Leopoldina se casou com D. Pedro de Alcântara, herdeiro do trono do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarve. Muito culta, se interessou pela botânica e pela mineralogia do Brasil e promoveu a vinda de naturalistas europeus ao País.

    Em 1822, D. Pedro viajou para São Paulo para apaziguar a política local, o que resultou na proclamação da Independência. Maria Leopoldina exerceu grande papel nesse fato, pois enviou a seu marido diversos documentos que o informavam sobre as críticas que os políticos portugueses lhe faziam, situação que requeria uma decisão imediata por parte de D. Pedro. Durante o período em que o príncipe esteve fora, ela exerceu a regência do Brasil.

    Foi na cerimônia de coroação e sagração de D. Pedro I como imperador brasileiro que Maria Leopoldina também foi coroada como imperatriz. Ela, já com o posto de primeira governante interina do Brasil independente, idealizou a bandeira do País, com o verde da família Bragança e o amarelo-ouro da família Habsburgo. Teve seis filhos: as princesas D. Januária, D. Paula Mariana e D. Francisca, o príncipe D. Pedro de Alcântara (que anos depois assumiu o trono como D. Pedro II) e D. João Carlos, o primogênito, falecido ainda pequeno.

    Maria Leopoldina morreu em 1826, no Rio de Janeiro.