13ª Mostra de Arte: Traga seu guarda-chuva porque o tempo pode mudar


“Tire o foco das paredes descascadas, das vias esburacadas, dos viadutos curvados pelo peso dos veículos. Talvez seja possível enxergar florzinhas nas janelas, toalhinhas bordadas sobre mesas, cortinas de renda, colchas de retalhos, bibelôs de porcelana. Emoldurar o muro, duro, por natureza. Entrever delicadeza na crueza. (...)”

Sandra Miessa

 

O trabalho do fotógrafo e artista plástico foi tema de inspiração da 13ª Mostra de Arte do Colégio Objetivo Traga seu guarda-chuva porque o tempo pode mudar. Os alunos do 8º ano do Ensino Fundamental apresentaram 192 propostas para melhorar a cidade, inspiradas no artista.

“Morozini é um artista que trabalha com fotografia, cenografia, poesia e intervenção urbana. Ele fez um recorte bastante generoso de seu universo e enviou para nós. Graças a isso os alunos conheceram um pouco de cada faceta do trabalho dele”, comenta o professor José Minerini Neto, coordenador de Arte do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental.

Antes de conferir a mostra, realizada em 16 de setembro, no teatro do campus Paraíso da Unip, Felipe Morozini participou de um bate-papo com os alunos. Ele falou sobre sua trajetória profissional e respondeu a perguntas, com destaque para o projeto O jardim suspenso da Babilônia, uma intervenção urbana no Minhocão. O artista e mais 21 amigos desenharam, com cal, dezenas de flores ao longo do elevado.

Morozini conta que os alunos captaram a essência de sua obra. “Estou completamente emocionado de perceber que meu trabalho tem uma reverberação tão positiva em relação às pessoas e à cidade. Vários alunos vieram me falar que nunca mais vão olhar pela janela do mesmo jeito, e isso é muito especial.”

O grupo da aluna Joana Sara Oliveira, do Objetivo Pinheiros, apresentou a obra Mais flor por favor, que consiste em um manequim com flores coloridas e os dizeres: Eu sabia que você existia. “Para fazer o trabalho, nos baseamos nas flores do Minhocão, uma das principais intervenções artísticas de Morozini. Gostei de pesquisar e conhecer mais sobre o trabalho do artista”, relata Joana.

Cauê Singo Aramaki, Nicolas Goulart de Moura, Marco Xin Kang Lin, Jhonny Lin e Fernando Yang, alunos do Objetivo Paulista, produziram uma caixa (abre e fecha) com vários origâmis, que continham frases de Felipe Morozini. “Atualmente muitas pessoas sofrem de depressão devido à rotina estressante; as frases de Morozini transmitem mensagens positivas e podem ajudá-las a superar essa fase. Nossa ideia foi produzir uma arte que inspirasse e transmitisse esses dizeres, entre eles a frase: Pega na minha mão e não solta”, explica Nicolas.

Além das obras do artista plástico, o livro O que é arte contemporânea?, de Jacky e Suzy Klein, publicado pelo Museu de Arte Moderna (MoMA) de Nova York (EUA), serviu de inspiração e referência para a elaboração dos trabalhos. “Nele existem muitas questões contemporâneas, dentre elas as que dizem respeito à vida urbana. A partir disso, buscamos um artista que olhasse para a cidade com carinho. Chegar a Felipe Morozini foi fácil, pois ele atende a todas essas premissas”, comenta o coordenador Minerini.

A Mostra de Arte é realizada desde 2005 e a cada ano é escolhido um artista de renome para ser homenageado. Já participaram desse trabalho Luiz Paulo Baravelli, Rubens Matuck, Guto Lacaz, Nelson Leirner, Claudio Tozzi, Evandro Carlos Jardim, Edith Derdyk, Katia Canton, Paulo Pasta, Marcelo Zocchiol, Regina Silveira e Alê Abreu. Suas obras são amplamente estudadas pelos alunos em atividades que contemplam uma vasta programação nas aulas de Arte.